Os segredos dela: antigos leques-de-plumas, carnês de bale enfeitados, impregnados de almíscar, um berloque de contas de âmbar em sua gaveta trancada. Uma gaiola pendurada na janela ensolarada da casa dela quando ela era menina. Ela ouviu o velho Royce cantar no pantomina de Turko o terrível e riu com os outros quando ele cantou:
Eu sou o rapaz
que é capaz
Alegria fantásmica, embrulhada longe, perfumada de almíscar.
E basta de virar para o lado e meditar.
©